FANDOM



História Editar

Crescido no Clã Innery , Kenshin nasceu com uma força espiritual absurda, mesmo para os padrões de sua raça. De fato, seu primeiro choro fez tremer o dojo de sua família, que também servia como residência dos Bantyo. E com o passar dos anos, sua energia espiritual só fez crescer mais. E isso por muito tempo lhe causou problemas, pois Kenshin tinha grande dificuldade em controlar seu próprio poder.

Quando criança, vivia causando estragos por onde passava, ainda que nunca tivesse real intenção de prejudicar. Por conta disso, seus pais recebiam diversas queixas todos os dias pela força descontrolada de Kenshin. Mesmo para os Shinkians Innery, que sempre valorizou a força interior, tamanho poder não era nada sem auto-controle. E não era por falta de esforço. O pai de Kenshin era um habilidoso mestre de artes marciais e sua mãe era perita no controle da energia espiritual, ambos com muitos discípulos, mas não importava o que fizessem ou o que tentassem, seus métodos não funcionavam e Kenshin não conseguia aprender. Até que, cansado de causar tantos problemas para si mesmo e para aqueles à sua volta, ele resolveu dar um basta. Aos 16 anos, Kenshin fugiu de casa no meio da noite, indo se embrenhar nas montanhas, onde acreditou que poderia viver sem machucar ninguém. Naturalmente, seus pais tentaram procurar por ele, mas não conseguiam encontrá-lo. Kenshin havia se ocultado de tal maneira que não foi possível encontrar rastros de seu paradeiro. E mesmo quando muitos desistiram de procurá-lo, alegando que o garoto deveria estar morto ou fugido para os territórios de outros Clãs, seus pais insistiram na busca por anos, se recusando a acreditar que o filho teria partido sem qualquer motivo.

Enquanto isso, Kenshin encontrou nas montanhas um lugar onde poderia viver sem ferir ninguém. Seu poder espiritual não precisaria ser contido. Pela primeira vez, desde que se lembrava, o garoto pode relaxar seu corpo e sua mente. E, como um tipo de milagre dos espíritos, essa pareceu ser a verdadeira resposta. Livre das amarras que por tantos anos havia imposto a si próprio, Kenhin percebeu ser capaz de controlar sua energia espiritual. Tal era o seu medo do fracasso, de ferir os outros à sua volta, que inconscientemente sabotava sua própria concentração. O caminho não era restringer-se, mas sim libertar a prórpia mente, sem medo algum.

Seu primeiro impulso foi voltar correndo para casa, mostrar que não era uma ameaça e nem mais um problema. Contudo, se obrigou a voltar atrás nessa ideia. Ele sentia o controle sobre seu poder, mas não sabia usar tanta energia de forma correta. Sem contar que se voltasse tomado apenas por aquela pequena sensação de segurança e depois perdesse esse controle, seria ainda pior. Por isso, Kenshin decidiu-se a ficar isolado nas montanhas para treinar ao máximo para compreender seu próprio poder.

Meditação, praticar sequências de movimentos e golpes... O dia inteiro, por vários e vários dias, Kenshin ficou treinado e concentrando-se em sua própria eneriga espiritual. Se alguém pressentiu a grande força que vinha das altas montanhas, não se aproximou. Durante os primeiros meses, a energia espiritual de Kenshin ainda relutava em ser devidamente controlada, de modo que seu próprio treinamento causava retaliações em seu próprio corpo, deixando grandes cicatrizes quando Kenshin puxava uma energia maior do que era capaz de controlar. Mesmo assim, o jovem Innery não desistiu. Continuou treinando a si mesmo, aprendendo a usar aquela grande energia espiritual, tão poderosa como um dragão que lutava para sair e ascender. Os meses se transformaram em anos...

Quando passou dos vinte, Kenshin deu o soco que passou a guiar toda a sua vida. Durante uma grande tempestade, o rapaz treinava seus movimentos em meio aos relâmpagos, totalmente indiferente ao ambiente à sua volta. E quando ele deu um soco para o alto, concentrando toda a sua energia, a pressão causada foi tamanha que a chuva subiu, e os trovões e raios pararam, tudo em alguns segundos. Mas o mais surpreendente foi o som que veio um pouco depois do golpe. O som de um único trovão, sem que nenhum raio tivesse caído. O punho de Kenshin criara tal impacto. E ultrapassava a barreira do som.

No dia seguinte, ele voltou para casa. Seus pais mal o reconheceram, depois de tantos anos treinando longe de casa. Depois de explicar tudo pelo que passou, o rapaz foi recebido de braços abertos (mas não sem um longo sermão de seus pais, junto com uma boa surra, ambos bem merecidos). Kenshin formou sua própria escola, os Monges do Dragão Interior, que não ensinava movimentos ou golpes conhecidos. Ele recebeu pessoas com poderes maiores do que podiam controlar, e os ensinou o caminho para controlar o dragão dentro de seus espíritos. Contudo, o grupo ainda é pequeno e com pouco prestígio e nenhum mostrou tanto poder quanto o próprio Kenshin, que pelo seu grande poder passou a ser chamado de "Punho do Trovão".

Objetivos Editar

Sem dúvida, o maior objetivo de Kenshin é alcançar o ápice do caminho do guerreiro, em um nível em que possa atingir o máximo de si mesmo o quanto, sempre controlando sua força espiritual. Ele acredita que este é o caminho que trará orgulho ao seu povo e à sua família.

Como qualquer mestre de artes marciais, ele também deseja que sua escola se torne reconhecida pelo Clã Innery e até por todo o povo Shinkian, e que tanto ele como seus aprendizes possam ajudar a realizar grandes feitos para seu mundo e para o mundo espiritual.

Poderes e Habilidades Editar

Como qualquer Shinkian, Kenshin domina as diversas habilidades ligadas ao meio espiritual, ainda que, da mesma forma que os outros membros do Clã Innery, seja particularmente habilidoso em artes marciais e no controle da energia espiritual interna a seu próprio ser. Mas de longe, seu maior poder reside em sua capacidade de golpear com tamanha força e velocidade que ultrapassa a barreira do som, e que libera um grande impacto de energia espiritual.